Sinpolsan notifica governo estadual sobre atraso no pagamento da Dejec

Sinpolsan notifica governo estadual sobre atraso no pagamento da Dejec

Praias lotadas de turistas, ruas e delegacias repletas de policiais. O cenário verificado, normalmente, nos meses de dezembro, janeiro, fevereiro e março indicam que a segurança é prioritária para o governo estadual apenas quatro meses por ano. E, mesmo assim, não costuma ser por livre e espontânea vontade, como parece. Muito menos como manda a lei. Isso mesmo, enquanto a população comemora o aumento do efetivo com a Operação Verão, alguém paga a conta no final desse período. Infelizmente, são os profissionais de segurança.

Escalados para integrar a Operação Verão com remuneração extra, os policiais civis ainda aguardam pelo pagamento da Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho (Dejec). Diante da situação abusiva, que prejudica os responsáveis por garantir à sociedade dias de férias, finais de semana e feriados longe da criminalidade, o Sinpolsan protocolou, nesta terça-feira, um documento junto ao poder público. O objetivo foi notificar o governador sobre a inadimplência.

A expectativa do Sindicato é de que a situação seja regularizada no prazo de 15 dias. Caso não haja um acordo na esfera administrativa, os associados poderão requerer os seus direitos por meio do departamento jurídico da entidade para que seja feita a cobrança judicial. “Os agentes fizeram a sua parte, cumpriram com o seu compromisso e se colocaram à disposição nessa época de maior movimentação nas cidades da Baixada Santista. Agora, precisam ser reconhecidos. Esperamos pelo bom senso do governo, já que essa contrapartida salarial é uma obrigação e não um favor. Vamos ficar atentos e continuar cobrando por esse direito”, afirmou o presidente do Sinpolsan, Marcio Pino, cansado do descaso com a categoria. Ele lembra ainda que nem sempre a atuação dos agentes é feita voluntariamente, muitos são convocados para fazer parte da operação especial.

Conforme divulgado na imprensa no final de 2018, foram abertas 13.643 vagas para a Operação Verão, por meio da Dejec. Vale destacar que a quantia adicional é paga para os policiais trabalharem em suas folgas. “Não faltou zelo e dedicação por parte dos agentes, que buscam nesse período a oportunidade de incrementar os baixos salários. Por isso, é injusto esse atraso no pagamento. Uma verdadeira falta de consideração”, finalizou Pino.