Sindicato parabeniza dedicação e empenho da Cobrapol em defesa da categoria Destaque

 

No que depender do empenho de representantes dos Policiais Civis, a máxima “Quem não é visto, não é lembrado” não se aplicará a categoria em 2019. Há menos de dois meses do início do ano, os agentes têm sido destaque na agenda de parlamentares e representantes do governo. Nesta segunda-feira, dia 18, por exemplo, o Palácio do Planalto, a Casa Civil e o Ministério Público receberam membros da Cobrapol que, em seu último e recente congresso, definiram um plano estratégico e escolheram temas fundamentais relacionados aos profissionais de segurança pública para serem debatidos e solucionados. O Sinpolsan observa como positiva a iniciativa da Confederação, que tem demonstrado dedicação na busca por condições de trabalho mais justas para os trabalhadores.

“Quero apenas parabenizar a atuação da confederação e seus diretores, em especial o novo presidente André Luiz Gutierrez, que vem trazendo avanços significativos no âmbito federal e, futuramente, trará bons resultados para toda a categoria. Sabemos que trabalhando em conjunto vamos reverter o cenário negativo dos últimos anos. Todos os envolvidos estão dispostos a mudar a realidade e fazer com que os policiais tenham o seu devido valor”, afirmou o presidente do Sinpolsan, Márcio Pino.

Entre os assuntos levados pela Cobrapol está a Reforma da Previdência, que precisa ser tratada de forma diferenciada em relação aos agentes de segurança e a Lei Orgânica Nacional, responsável pela instituição da carreira única. Foram feitos encontros com a Procuradora da República Mara, Elisa de Oliveira, que atualmente chefia o Gabinete da Procuradora Geral Raquel Dodge, com o Secretário Executivo da Casa Civil, Abraham Weintraub e com o líder do governo na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo (PSL-GO). Em uma das reuniões, ficou marcado um evento para o próximo dia 12 de março, no auditório Nereu Ramos da Câmara Federal. Além da confederação, outras entidades vão participar das discussões.

“Apesar do pouco tempo, já conseguimos perceber uma excelente movimentação em prol da categoria. 2018 não foi um ano fácil, assim como os anteriores. Levamos muita porta na cara e fomos recorrentemente tratados com descaso. No que depender das lideranças, coisas novas estão por vir. Esses são apenas os primeiros passos”, destacou Pino, que também tem buscado apoio na Baixada Santista. “Sinto um melhor entendimento sobre as nossas necessidades e, consequentemente, os anseios da sociedade”, completou.